14 de mar de 2011

Resenha: A Batalha do Apocalipse


Resenha: A Batalha do Apocalipse 

Percebe-se um épico no momento em que você o segura, atraído por sua capa e passa os olhos em sua sinopse. 
Com a Batalha do Apocalipse foi assim. Antes mesmo de todo esse sucesso, ao ler em sua capa a frase “Da queda dos anjos ao crepúsculo dos Homens”, já dava para sentir o peso de tal obra. (E que peso! Nunca senti tanta vontade de ter um kindle)



Mas falemos sobre a obra em si ao invés da aura que ela possui e que atrai tantos leitores.


Durante a leitura da Batalha do apocalipse, por vários momentos eu comparava o ritmo da história com clássicos como Império do Sol ou E o Vento Levou. 
Digo isto por conta da jornada em si, que nos leva aos quatro cantos do mundo de um modo complexo, fazendo-nos sentir aromas e temperaturas, nos dando tamanha imersão e realismo que parece que estamos realmente ali, junto dos protagonistas. 
E por falar neles, também nos personagens identifiquei características que me remeteram àqueles clássicos. A Batalha nos premia com seres cativantes, cada um ao seu modo, tornando sua passagem por aquele mundo única e inesquecível. Percebe-se isto facilmente, após fechar as mais de seiscentas páginas do livro e se lembrar de detalhes sobre dezenas deles, humanos, anjos ou demônios. 
Muito bem, temos um cenário profundo e personagens cativantes. Isto bastava para tornar o livro bom. Porém, estamos falando de um épico. 
E épicos marcam principalmente por sua história. 
Neste ponto, a obra se arrisca ao trazer neste volume único várias sub-tramas que poderiam ser convertidas em livros menores. Estas histórias são contadas através de flashbacks que remetem ao passado conturbado de Ablon, personagem central da obra. 
Digo que é arriscado, pois pode-se perder o foco da história principal e distrair ou entediar o leitor. Porém, mais uma vez o autor acerta na dose e deixa as sub-tramas tão naturais e ligadas à história principal que você aproveita cada uma delas, sem tédio ou cansaço. 
Nestes três pontos encontra-se a riqueza de tal obra. Eles resumem o carinho e esforço despendido em cada página escrita e cada hora gasta com pesquisa pelo Eduardo Spohr. Estes pontos, juntos com uma estratégia bem elaborada do jovem Nerd e continuada pela editora Verus, mostram claramente o porquê desta obra estar há meses entre os mais vendidos. 
Aos que torciam o nariz para literatura nacional, ou simplesmente temiam a sua qualidade, esta é a prova absoluta de que em nada perdemos para a galera lá fora. Nós podemos sim, produzir épicos ricos em detalhes e dignos de serem levados às telonas. 
Portanto, meu amigo, se você ainda não começou a ler os trabalhos desta nova geração, trate de se apressar. 
A Batalha do Apocalipse é um excelente começo.


Detalhes da obra  
Livro: A Batalha do Apocalypse
Autor: Eduardo Spohr (http://filosofianerd.blogspot.com/)
Editora: Verus
Número de Páginas: Muitas... To brincando: 586
Preço Médio: R$ 29,90 (Ou 49,90 a edição especial, ilustrada e com cenas extras. xD)

Um comentário:

Neto Cruz disse...

O livro parece mesmo interessante, por tudo que disse.
Fiz o prometido post sobre Filhos de Galagah, Leandro:

http://sonataescarlate.blogspot.com

Abraço